domingo, 17 de agosto de 2008

Olimpiadas

Lendo a Carol Molina deixei um comentário um tanto acalorado. Discordei do "falso patriotismo". Não acredito que torcer por um atleta de um esporte que não faz parte do dia a dia seja errado.

Se for assim só torceríamos pelo futebol. Ah! E pela fórmula 1!

Eu AMO Olimpiadas. Mais do que Copa. Adoro ver esportes esquisistos. E os meus predilétos: os na água.

Uma de minhas férias prediletas foi a 1992 aqui em Porto. Choveu o mes inteiro, assistimos a Olimpiada inteira. Vibramos com o Gustavo Borges.



Estas, pela diferença de horário e pela correria pré Seniores, nem tenho curtido. O momento mais emocionante eu vi: o moço com cara de bem nacido ganhando a primeira medalia de ouro da natação brasileira. Minha reação foi quase jogar a Lina para fora da cama, berrar, chorrar...

Pode parecer rídiculo para alguns, mas eu sou patriota mesmo!

4 comentários:

Carolina Molina disse...

Oi Dani, entendi o seu comentário "acalorado", mas continuo pensando o mesmo. Principalmente por saber que nenhum esporte é valorizado quanto o futebol (no máximo o volei depois de ganhar muito) no Brasil e que os outros esportistas ralam durante 4 anos sem valorização, sem patrocínio, sem nada... por isso considero falso patriotismo (inclusive copa do mundo e F1). Mas é claro que existem exceções!

Os atletas do Brasil já são heróis só por chegarem lá sem jogar futebol.

bjs

Carolina Molina disse...

só pra resumir o outro comentário: acho legal torcer pelo atletas, não pelo país... isso que eu quis dizer! bjs

Carolina Molina disse...

Dani, eu não disse que você é.
A propósito, não joga a lina da cama, ela é muito pequetitita.

Zonzini disse...

ai, esse meu Brasil...